quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Cruzeiro sai na frente no confronto da semi final da Copa do Brasil: 1x0

Palmeiras 1 x 1 Cruzeiro - Allianz Parque - Jogo de ida - Semi final - Copa do Brasil 2018
Barcos marcou o gol que deu a vantagem ao Cruzeiro para a próxima partida.
Na frente
Com polêmica ou sem polêmica o Cruzeiro saiu na frente no 1º confronto válido pela semi final da Copa do Brasil 2018. Muito vão dizer, muito vão escrever e discutir mas nada mudará o que foi decidido pelo árbitro. Claro que a mídia do eixo RIO-SP a maldita mídia que pauta o Brasil jamais aceitará que um juiz possa decidir contra um time do eixo. Mas aconteceu. Ele, o juiz viu falta no Fábio e revendo o lance claro que é perfeitamente aceitável que se marcasse aquela falta. Edu Dracena pula em cima de Fábio e o desloca. Outro juiz poderia não dar a falta e o lance prosseguiria e talvez o Palmeira fizesse o gol como neste lance, mas ESTE juiz não deu e sem falsa imparcialidade é claro que dar a falta não pode ser taxado como um erro. É interpretação, puramente isto. 
Falar que era impossível marcar esta falta é querer agradar a torcida do Palmeiras.

Os opinadores
Vai ser complicado (não vi a crônica esportiva reverberar o ocorrido hoje, dia seguinte ao jogo, nem procurei ouvir, pra ser sincero) encontrar um opinador na mídia do Eixo que entenda que o juiz poderia ou não marcar e não seria absurdo algum qualquer uma das duas situações. Vai ser quase impossível porque o bairrismo os cega, porque tem de manter seus empregos e os donos dos microfones não querem decepcionar seus ouvintes em S.Paulo (no caso). A gente sabe bem como tudo isso funciona. Mas um juiz do tipo do Carlos E. Simon a gente já conhece... não foi ele que deu de presente uma Copa do Brasil para os Corintianos naquela arbitragem omissa contra o pequeno Brasiliense? Pois bem, nos comentários que fez após o jogo soltou os cachorros no árbitro esquecendo que o poder de interpretação pertence ao árbitro e suas decisões são soberanas, mas até aí tudo bem, o pior foi este ex-árbitro, aliás péssimo árbitro, repetir a todo momento que o juiz havia anulado um gol legítimo do Palmeiras. Isso é babaquice. É desonestidade intelectual. É enganação. É baixaria. Não houve gol anulado, não houve gol. O juiz marcou a falta PRONTO. O lance parou ali. Não houve gol invalidado porque o lance parou ali no momento em que o árbitro apitou. Durante toda a semana já vínhamos testemunhando o amadorismo dos opinadores que só sabiam desqualificar o Cruzeiro porque seu desempenho no Brasileirão não tem sido tão convincente. Esqueciam convenientemente eles dos erros de arbitragem que temos sofrido. De que temos jogado com times mistos devido a agenda de jogos importantes no meio da semana, hora pela Libertadores, hora pela Copa do Brasil. É muita má vontade, incompetência e amadorismo desta turma de cUmentaristas esportivos. Alías, esta classe de gente que é paga para dar suas opiniões idiotas e ás vezes descabidas deveria ser banida da mídia. Eita coisa inútil, que só agrada o povo do eixo rio-sp (isso vale pra tudo, economia, política e etc, este opinadores são uns inúteis, só os preguiçosos gostam desta gente, assim não precisam pensar e tomam como suas as opiniões imbecis daqueles).
Neste lance envolvendo goleiro do Palmeiras, muito parecido, foi marcada falta.

O jogo
O Cruzeiro é um time experiente. O velho Felipão pelo jeito anda preguiçoso, não viu os últimos jogos do Maior de Minas nesta mesma Copa do Brasil ou na Libertadores. O Cruzeiro tem jogado assim como jogou contra o Palmeiras e tem conseguido seus objetivos. Deixa o time adversário tomar conta do gol, finge que esta querendo apenas um empate ou amarrar o jogo, quando surge uma oportunidade vai lá e dá uma espetada mortal. Foi o que ocorreu ontem. Depois de um lance de perigo que o Cruzeiro sofreu, aceleramos contra o gol do Palmeiras. Thiago Neves fez uma jogada genial e passou a Robinho que deu um passe perfeito pra quem? Pro Barcos que andava zicado e se Deus quiser quebrou seu feitiço na noite de ontem. Barcos ex-palmeirense meteu para o gol por cobertura. Belo e importantíssimo gol. Isso aos 4 minutos do 1º tempo. Daí pra frente o jogo continuou como começou. O Palmeiras com mais volume de jogo, com mais finalizações mas o Cruzeiro que era o mais perigoso. Tivemos muitas e boas chances de marcar e claro o time da casa também teve suas chances mas não tiveram eficiência nas finalizações e com certeza também, paravam na Muralha Azul, Fábio.

Reclamações
Realmente a arbitragem não foi bem. Faltou usar os mesmos critérios para as duas equipes. Deixou de dar algumas faltas e na expulsão de Edilson pode ter sido muito rigoroso com o que o nosso lateral falou (não sabemos o que ele disse afinal), o que vimos é que o Dudu afrontou muito mais vezes e não foi punido após ter levado um amarelo. Houveram outros lances na partida em que visivelmente se usou dois critérios o que não foi justo para com o time visitante. Então, se os opinadores do futebol forem criticar o homem do apito precisam também levar em contar estes erros que com certeza prejudicaram o Cruzeiro também. 

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 0 X 1 CRUZEIRO
Motivo: Jogo de ida da semifinal da Copa do Brasil
Data: 12/09/2018 (quarta-feira) 21:45hs
Local: Allianz Parque, em São Paulo-SP

Árbitro: Wagner Reway (FIFA/MT)
Renda: R$ 2.732.380,90 Público: 32.960
Gol: Barcos, aos 4 minutos do 1º tempo

Palmeiras: Weverton; Mayke, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Thiago Santos (Lucas Lima) e Bruno Henrique (Marcos Rocha); Willian, Moisés e Dudu; Borja (Artur).
Técnico: Luiz Felipe Scolari

Cruzeiro: Fábio; Edilson, Dedé, Léo e Egídio; Henrique, Lucas Silva, Robinho (Bruno Silva), Thiago Neves e De Arrascaeta (Rafinha); Barcos (Raniel).
Técnico: Mano Menezes

Cartões amarelos: Thiago Santos, Dudu (Palmeiras); Leo, Fábio, Edilson (Cruzeiro)
Cartão vermelho: Edilson (Cruzeiro)


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Vão pra lá, venham pra cá, naveguem pois:

Você no mapa:


Visitor Map