sexta-feira, 9 de maio de 2008

A Galopress (não) fez a cobertura dos 3 últimos jogos do Cruzeiro no Mineirão


A visão mais clara da situação no 2º jogo do clássico
O texto que transcrevemos abaixo foi "pinçado" no Blag do Mauro Betting e tem sido publicado em vários blogs pela internet.

Relutamos em tornar a focar esse assunto, mas depois do que vimos, lemos e ouvimos na imprensa da capital por ocasião das finais do Mineiro e do jogo com o Boca pela Libertadores, não dá pra ignorar o comportamento da mídia, que mais uma vez foi incrivelmente parcial.

Você percebeu como a mídia fez questão de ignorar tanto a avalanche azul no clássico e no jogo com o Boca, quanto a escassez de torcedores da tal “massa” que não abondona o time no 2º jogo do Mineiro? Pois é por isso que voltamos à esse assunto tão batido e aproveitando colocamos esse texto de um torcedor que além de muito bem escrito nos remete a uma reflexão.

Aqui, o torcedor cruzeirense, sob sua ótica fala do que viu no 1º clássico no Mineirão das finais do Mineiro 2008, (só pra frizar, o texto foi escrito após o 1º jogo das finais, antes então de que ocorresse o histórico “Massacre Azul”), e indaga pela existência da tão propalada "Massa Atleticana". As indagações não são logicamente voltadas exatamente para a existência em si da tal 'massa' mas sim pela existência da mesma enquanto "torcida apaixonada", que torce contra o "vento", que esta sempre ao lado do time como imprensa (da capital mineira principalmente) sempre faz questão de propagar aos quatro ventos.


“Mais uma vez procurei, procurei e não encontrei a fanática torcida atleticana...aquela que torce até contra o vento, que canta o hino na adversidade e que apóia até no final. Procurei, ansioso, em cada rosto do outro lado e não encontrava nada parecido com aquilo que escrevem...a literatura não era condizente com o que se via no Mineirão ontem. Aliás, corrigindo, com o que se vê no Mineirão nas derrotas (e são muitas) atleticanas.
Procurei pela alma argentina presente nos torcedores galistas, procurei semelhança com a torcida do Racing, que perdendo de 4 x 0 para o mesmo Cruzeiro numa final de Supercopa, cantavam e vibravam como se o time estivesse com sobras positivas no placar. E no jogo da volta, na Argentina, vibraram com um gol no final com tal intensidade que pareciam terem acabado de conquistar a Libertadores da América.
Após o segundo gol ontem, não mais se ouviu o hino atleticano, entoado pela "fanática" torcida alvinegra. Após o terceiro, as pessoas indo embora maldizendo o amontoado que se arrastava em campo. Restaram alguns incrédulos, ensurdecidos por uma massa ruidosa que entoava a plenos pulmões os hinos do cruzeiro (no plural, pois algumas canções cantadas pela China Azul soam tal quais hinos...dada a emoção que suscitam).
Desviei meus olhos para o campo e tentei encontrar naqueles atletas vestidos de uniforme listrado qualquer coisa que se assemelhasse com que diziam daqueles que vestiam o tal “manto”. Mais uma vez não encontrei...e o que vi foram atletas medíocres, que apenas possuem discursos prontos e se apóiam em um fato que cada vez mais tenho a impressão de ser um mito: a da mística atleticana.
Cansado de nada encontrar, voltei os meus olhos para um time que, se não encanta, conquista títulos e arregimenta cada vez mais torcedores...e nos últimos 15 anos conquistou muito mais títulos que o rival durante toda a centenária história. E que vê sua torcida se multiplicar em proporções chinesas ( o profeta Drummond, com toda a sua atleticanice, disse essa verdade há muitos anos).
Voltarei no próximo domingo ao estádio, como fiz no jogo após a goleada de 4x 0 no ano passado..e procurarei novamente por aqueles que não encontrei ontem..e que já não encontro há muito tempo nos jogos com o Cruzeiro.
Saudações cruzeirenses."

28/04/2008 12:34
Comentário escrito por Maurilio

Esse era o lado Azul
Só pra arrematar nosso post, inserimos um recorte de um post do MARCAÇÃO CERRADA  de Vinicius Grissi que vem corroborar o que dissemos:
"Um detalhe: a famosa e aclamada "torcida atleticana" mostrou que torcedor é igual em qualquer canto do país. Menos de 2.000 torcedores do Atlético deram as caras no Mineirão."

10 comentários:

AFlavis disse...

eu não entendo porque a mídia não mostrar. a torcida azul fez e faz bonito.

5.16 disse...

Não assisti ao jogo, contudo fiquei sabendo da bela festa Cruzeirense.
Sentado na mesa do bar, e na roda dos peloteiros, falei em alto e bom som para o amigo cruzeirense: Po, você viu que vexame do Flamengo no Maracanã? Depois do Flamengo sacolar no México, ainda foram 50.000 fanáticos ao Maracanã assistir a pífia apresentação Rubro-negra.
Respondeu o amigo Cruzeirense:
È, vi. Mas o Cruzeiro enfiou mais de 60.000 fanáticos no Mineirão, depois de ter perdido para o atual campeão Sul-Americano na Argentina.

De fato, me parece que ele tinha razão!

Rui Moura disse...

Carlão, é claro que se eu não fosse botafoguense fanático, até que o seu belíssimo blogue era capaz de me convencer a ser cruzeirense também!!! rsrsrs...

SAUDAÇÕES ESPORTIVAS!

SãoPauliNa-RP disse...

Oii Carlão..
concordo com o comentario da Anna..

a torcida do cruzeiro é muito linda..vai saber..rs

Bom fds pra vc viu...
e hoje inicia o brasileirão..tricolor rumo ao tri ahuahuahahuauah

bejos
=D

leo1984 disse...

Fala, Carlão
Passa no meu blog, que eu escrevi sobre os times do Brasileiro
A torcida do Cruzeiro é show
Valeu!!!

Diego Louzada disse...

quqlquer semelhança com o que acontece aqui no Rio é mera coincidência?
Imprensa maldita...
Abraço!

Wilson Hebert disse...

Carlão, eu por exemplo não posso ousar a dizer qual torcida de Minas é a maior, mas posso afirmar que as duas (do Galo e da Raposa) são enormes e intensamente fanáticas. E a segunda partida da final Mineira, foi totalmente atípica. Acho que em condições normais, a torcida atléticana compareceria em um número bem superior ao que compareceu na 2ª partida da final, portanto, não acho que dê para avaliar a torcida "deles" por esse jogo.

Grande abraço nobre amigo Carlão..........

Daniel Leite disse...

No wonder! Isso prova que a torcida do Galo não é de outro mundo. E nenhuma outra é. O público de qualquer time, após derrota por 5 a 0, não compareceria. Salvo em condições especiais e estratosféricas. Mas foi ótimo você tocar neste ponto!

Até mais!

Rafael Amaral disse...

A questão não é a de subestimar a torcida do Atlético. A questão é que a imprensa não reconhece a grandeza da torcida do Cruzeiro como reconhece a do Atlético.
Não podemos falar que a deles é menos apaixonada. Mas podemos falar com certeza que a nossa é completamente apaixonada pelo time, disso nenhum cruzeirense tem dúvida.

Saudações celestes




Visitem o Blog Azul Cruzeiro:
http://blog-azul-cruzeiro.blogspot.com

gerson sicca disse...

Torcedor é torcedor. Se o time tá bem empurra. Se não desiste. Os brasileiros não têm o espírito dos argentinos, do "não tá morto que peleja". Para os brasileiros o futebol é festa e arte. Se o time não dá espetáculo a platéia vaia. Para argentinos e uruguaios o futebol é guerra. Por isso deve-se apoiar a luta até a morte, mesmo quando a derrota é inevitável. O importante é não se entregar.
Eu, particularmente, aprecio mais o futebol como guerra. é mais divertido até pra se jogar. Não suporto peladas com caras que ficam com aquela de "não tomar cuidado pra ninguém se machucar". Quem sabe se defender não se machuca. e se não sabe se defender tem q parar de jogar futebol.
Abraço

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Vão pra lá, venham pra cá, naveguem pois:

Notícias do Maior de Minas - Site Oficial

Globo Esporte

Você no mapa:


Visitor Map