domingo, 21 de maio de 2017

Cruzeiro empata jogo que podia ter vencido: 1x1

Sport 1 x 1 Cruzeiro - Ilha do Retiro - 2ª rodada - Brasileirão 2017 

Vitória mais que possível
O Cruzeiro deixa a Ilha do Retiro com o sabor amargo de ter empatado um jogo que tinha tudo pra vencer, sobretudo pelo que jogou no 2º tempo. Se considerarmos que não tivemos jogo no meio da semana e que o Sport disputou um jogo da final contra o Bahia, na quarta feira, vamos concluir que além de cansado o time de Recife não estava se aplicando inteiramente para vencer o jogo. Era tudo que precisávamos para vencer a disputa, era só um pouco mais de empenho. Esbarramos na boa atuação do goleiro Magrão e na atuação apagada do time no 1º tempo.

O jogo
O jogo começou meio truncado. No 1º tempo o Cruzeiro tentou poucos chutes a gol. O Sport que não se pode dizer que foi melhor na parte inicial do jogo, chegou e chutou mais vezes que o Cruzeiro. Fábio chegou a fazer boas defesas. No 2º tempo o Cruzeiro melhorou bastante e o cansaço do Sport apareceu proporcionando um domínio bastante grande do Time Azul. Finalizamos muitas vezes mas sem eficiência. Os poucos chutes que foram a gol foram bem defendidos pelo goleiro.

Destaques positivos e negativos
Alisson foi o mais lúcido e além de ter feito o gol, pareceu ser o mais focado em buscar a vitória. Alex que entrou no lugar de Ábila mais uma vez não entrou no jogo. Ta certo que ficou pouco tempo em campo mas, nas várias chances que já teve jamais mostrou algo que possa nos trazer alguma confiança de que algum dia merecerá jogar por mais tempo. Ábila também foi apagado, assim como Arrascaeta. Do trio que não vinha bem (Thiago Neves, Sóbis e Arrascaeta) só Arrascaeta continua no time. Tá precisando de ficar no banco para dar mais valor a titularidade e aprender a ser mais objetivo e brigador (no bom sentido). Ele parece sempre muito apático, conformado. Dedé não passou segurança na defesa. Fábio foi bem... mas paira ainda, por melhor que ele esteja indo, um ar de injustiça com Rafael que vinha como titular. Mano deve saber o que faz. Avante Azul.

SPORT 1 X 1 CRUZEIRO
Local: Ilha do Retiro, Recife (PE)
Data: 21 de maio de 2017, domingo
Horário: 19h (de Brasília)
Árbitro: João Batista de Arruma (RJ)
Assistentes: Luiz Cláudio Regazone (RJ) e Eduardo de Souza Couto (RJ)
Cartões: Raul Prata, Diego Souza, Fabrício (Sport); Léo, Ariel Cabral (Cruzeiro)
GOLS: Alisson, aos 19 minutos do primeiro tempo (Cruzeiro); Diego Souza, aos 31 minutos do primeiro tempo (Sport)
SPORT: Magrão; Samuel Xavier (Evandro), Matheus Ferraz, Durval e Raul Prata; Ronaldo (Fabrício), Rithely, Neto Moura (Juninho) e Rogério; Diego Souza e Osvaldo.
Técnico: Ney Franco

CRUZEIRO: Fábio; Lucas Romero (Ariel Cabral), Léo, Dedé, Diogo Barbosa, Hudson, Henrique, Arrascaeta, Alisson, Rafinha (Rafael Marques) e Ramon Ábila (Alex).
Técnico: Mano Menezes.


domingo, 14 de maio de 2017

Vitória da AGILIDADE: 1X0

Cruzeiro 1 x 0 S.Paulo - Mineirão - 1ª rodada - Brasileirão 2017
Ábila, mais uma vez ele deu a alegria à torcida.
Começou bem
Uma vitória é sempre bem vinda e quando ocorre logo na 1ª partida de um campeonato importante é muito longo melhor ainda. Agora, se ela é contra um rival histórico e que também com certeza disputará o título ela se torna mais que especial. Sem falar que vencer o arrogante Ceni é algo muito bom, principalmente depois de eliminar o time dele da Copa do Brasil há poucas semanas atrás.O único aspecto que tira o brilho desta vitória é que ela se deu em casa e, pelo que se considera, em casa é praticamente obrigação vencer. Fora isso o Cruzeiro tem de comemorar pois a vitória pode nos dar mais confiança depois do abalo que sofremos saindo simultaneamente de duas competições. 

O jogo
Entramos para vencer o jogo e isto estava nítido desde o primeiro momento. O Cruzeiro buscava o ataque todo o tempo. Tínhamos algumas dificuldades até que após os 30 minutos do 1º tempo praticamente dominamos o jogo. Mas o gol só veio aos 3 minutos do 2º tempo. Numa jogada esperta e ágil de Henrique que bateu o lateral com rapidez para Alisson e este cruzou na medida para que Ábila completasse para o gol e abrisse o placar. Depois do gol o S.Paulo se desesperou um pouco e tentou de todas as maneiras empatar a peleja. O Cruzeiro jogou com consciência e Mano substituiu corretamente dando fôlego e mais potencial de marcação ao time. O resultado foi que seguramos os ímpetos dos bambis e saímos com a vitória e os 3 pontos inciais de campo.

Longo
Pois é o Camp. Brasileiro é muito longo. Serão 38 rodadas e muita água vai rolar por baixo da ponte. Estamos apenas começando e podemos dizer que embora não tenhamos neste momento um time em condições de buscar o título, tudo indica que não deveremos ter tanto problema como nas duas últimas edições do campeonato. Tem Robinho para voltar ao time, um jogador essencial na ligação entre ataque e meio, temos também para voltar Ezequiel que tinha resolvido o problema da nossa lateral. Nossa zaga este ano esta bem mais qualificada com Manoel, Caicedo, Léo e Dedé. Temos bons nomes no meio como Hudson, Henrique, Lucas Silva e Romero. No ataque Arrascaeta, Thiago Neves e Sóbis andam devendo mas, há a possibilidade que pelo menos 2 deles deslanchem durante o restante da temporada. Seria muita falta de sorte que os 3 continuassem com este futebol abaixo do que podem oferecer constantemente. Correndo por fora poderemos contar ainda com Alisson e Elber que poderão ajudar bastante mudando as características do time no decorrer dos jogos, sem falar de Raniel que hoje por exemplo, entrou muito bem. Sorte ao Cruzeiro. Avante Celeste.


FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 1 X 0 SÃO PAULO
Local: Estádio Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data: 14 de maio de 2017 (Domingo)
Horário: 16h(de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Assistentes: Dibert Pedrosa Moisés e Michael Correia (ambos do RJ)
Público: 6.528 pagantes
Renda: R$ 125.549,00
Cartão amarelo: Rodrigo Caio (São Paulo)
Gols:
CRUZEIRO: Ábila, aos três minutos do segundo tempo
CRUZEIRO: Fábio; Lucas Romero (Lennon), Léo, Caicedo, Diogo Barbosa, Henrique, Hudson, Rafinha (Lucas Silva), Arrascaeta e Alisson; Ramon Ábila (Raniel)
Técnico: Mano Menezes.
SÃO PAULO: Renan Ribeiro; Éder Militão (Thomaz), Maicon e Rodrigo Caio; Thiago Mendes, Jucilei, João Schmidt e Júnior Tavares; Marcinho (Gilberto), Cueva (Luiz Araújo) e Lucas Pratto
Técnico: Rogério Ceni

quarta-feira, 10 de maio de 2017

2 derrotas em 3 dias, agora com eliminação: 2x1

Nacional - PAR 2 x 1 Cruzeiro - Def. del Chaco - 1ª Fase - Jogo de volta - Sul-Americana 2017 

Na conta do Mano
Não se trata de pedir a cabeça do Mano. Não é isso. Não estamos fazendo campanha para a saída do Mano. É ele mesmo é que esta trilhando por este caminho ao insistir nos seus erros e ao bolar estratégias erradas para jogos decisivos. Desta feita a estratégia foi a de jogar pelo regulamento. Até que dava, pois o time do Nacional é fraquíssimo, inclusive temos de considerar que perdemos de nós mesmos pois, os dois gols do Nacional só sairam através de erros individuais de nossa defesa. Esta é uma atenuante para Mano, mas, ao mesmo tempo é também uma agravante já que na substituição ele quis inventar e não foi coerente com suas posições em todos os jogos anteriores. Substituiu Diogo Barbosa (a menos que este tenha sentido alguma lesão) o único jogador do nosso setor defensivo que não tinha cartão. Pouco depois perdemos Léo. Estava muito evidente que um jogador seria expulso dada a quantidade de amarelos que o fraco juiz distribuiu. Até parece que o Colombiano queria se vingar pelas muitas derrotas que seu país sofreu para a Sel. Brasileira. Outro erro de Mano foi insistir com Thiago Neves que não vem produzindo nada de inteligente ou mesmo útil ao time. Fez o gol e só. Não ajuda na marcação, não dá bons passes, perde bolas infantilmente e fica olhando.

O jogo 
O jogo começou com um Cruzeiro aguerrido, partindo para cima, até aí parecia que a classificação eram favas contadas. Aí veio o 1º erro nosso. Mayke arrematou mal uma bola e ela sobrou para o adversário que mandou para o gol. Então, o time paraguaio se animou no jogo e mesmo com muitas limitações técnicas foi pro jogo e deu um pouco mais de trabalho. O Cruzeiro parecia desanimado, desfocado. Cansado talvez. Foi se segurando até o final da 1ª etapa. No 2º tempo voltou novamente mais animado e dominava o jogo. Faltou mais eficiência para marcar o 2º gol mas aí, foi a vez de Caicedo falhar e sofremos o 2º gol do Nacional que levaria o jogo para os pênalties. Interessante é que o Cruzeiro não fez muito esforço para evitar esta disputa de penais. Haviam treinado muito, mas não o suficiente pois perdemos 3 penais o que mostra que o treinamento não foi tão bem feito assim. Fomos punidos por tentar acreditar que nossa vantagem nos daria a classificação. Esta tudo muito errado quando o Cruzeiro, times de Conquistas e Vitórias não consegue passar da 1ª fase da Sul-Americana.

Próximos capítulos 
Domingo inicia-se o Brasileiro. Como é bom já começar com um jogo difícil né? Pois é. Estrearemos contra os Bambis na nossa casa o que como sabemos, sugere que temos a obrigação de vencer. Mas como? Com o moral baixo por duas partidas decisivas em que não obtivemos êxito. Um título perdido e uma eliminação? Jogadores sendo duramente cobrados? Sem confiança e errando em bolas fáceis como neste jogo? Depois de estrear no Brasileiro ainda teremos outro jogo decisivo e duro. Contra a Chapecoense lá e tendo de administrar uma vantagem. Será que o Mano vai querer jogar pelo regulamento de novo? Será que vai enxergar que tem titular ali merecendo por demais ficar no banco? Tomara. Vamos dar conta do nosso papel de torcer bastante para que a maré vire a nosso favor pois senão será mais um ano difícil. Um time que começou tão bem e em pouco tempo esta se desmanchando em campo. Será mesmo o cansaço? A sequência insana de jogos? Camp. Mineiro, Copa da Primeira Liga, Copa do Brasil, Copa Sul-Americana e ja já Camp. Brasileiro. É complicado não é mesmo? Avante Azul.


FICHA TÉCNICA
NACIONAL 2 (3) X 1 (2) CRUZEIRO
Local: Estádio Arcenio Erico, Assunção (PAR)
Data: 10 de maio de 2017, quarta-feira
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Gustavo Murillo (Colômbia)
Assistentes: Eduardo Díaz (Colômbia) e Humberto Clavijo (Colômbia)
Cartões amarelos: Mayke, Luis Caicedo, Thiago Neves, Rafinha e Léo (2) (Cruzeiro); Paniagua, Adam Bareiro, Jonathan Santana, Rodrigo Rojo (Nacional)
Cartão Vermelho: Léo (Cruzeiro)
Gols: CRUZEIRO: Thiago Neves, aos 11 minutos do primeiro tempo; NACIONAL: Villagra, aos 16 minutos do primeiro tempo, e Bareiro, aos 17 do segundo
Nos pênaltis: Santiago Rojas, Miranda e Dávalos fizeram para o Nacional; Henrique e Hudson marcaram para o Cruzeiro
NACIONAL-PAR: Rojas, Dávalos, Miranda, Jacquet, Rojo, Santana (Walter Rodríguez), Paniagua, Francisco García (José Núnez), Villagra (Freddy Bareiro), Adam Bareiro, Salgueiro.
Técnico: Roberto Torres
CRUZEIRO: Rafael, Mayke, Léo, Caicedo, Diogo Barbosa (Fabrício), Henrique, Hudson, Thiago Neves (Alisson), Rafinha, Arrascaeta e Ramon Ábila (Dedé)
Técnico: Mano Menezes

domingo, 7 de maio de 2017

Cruzeiro não joga bem e é derrotado: 2x1

Atl.Mineiro (MG) 2 x 1 Cruzeiro - Est. do América - Final - Jogo de volta - Camp. Mineiro 2017

Mais do mesmo
Todos sabemos que jogos assim, de finais ou jogos muito disputados, muitas das vezes são ganhos nos detalhes. No último jogo o técnico franga antecipou o que iria acontecer pelo menos o que ele queria que acontecesse e que ao final acabou ocorrendo. Ele disse que as meninas de Vespasiano jogariam com o regulamento ou, "nem me lembro ao certo", pelo regulamento. Nem posso ver tanta diferença nestas duas expressões. O fato é que elas colocaram o regulamento embaixo da asa e jogaram o tempo todo pensando no mesmo. Se saíram bem, muito bem, mantendo sua vantagem.
Hoje foi a vez do nosso treinador antecipar o que ele QUERIA que ocorresse mas, que não ocorreu, conforme vimos. Ele mencionou que o Cruzeiro iria atacar mas não afoitamente, teria calma e com o decorrer do jogo tentaria fazer o gol que necessitava para vencer a partida e conseguir ser campeão. 

Mano
Pois é, não se trata de crucificar o técnico mas, um time que estava em desvantagem não poderia entrar em campo pensando em cadenciar o jogo. No 1º jogo o Cruzeiro fez de tudo e não conseguiu achar o caminho das redes. Ficamos os 90 minutos quase todos no campo do time Rosa e tudo que tentamos deu errado. O jogo ficou no empate e as moças de Lourdes mantiveram sua vantagem para o jogo de hoje. A estratégia de Mano mostrou-se ineficiente e isso parecia claro. Tínhamos sim de tentar logo fazer um gol no jogo de hoje, para jogar a pressão para o time de Vespasiano. Ao contrário foram elas que fizeram um gol logo aos 12 minutos do 1º tempo. Outra pérola de Mano foi uma declaração antes de ir pro jogo dizendo que o Cruzeiro não tinha obrigação de tentar surpreender o rival. Pode até ser, mas venhamos e convenhamos o Cruzeiro não tem mesmo como surpreender ninguém. Tem jogado um futebol totalmente previsível. Quando enfrenta um time que se fecha não consegue fazer absolutamente nada a não ser ter mais posse de bola. Mas contudo se Mano disse que não temos obrigação de surpreender o rival, PARA QUE E POR QUÊ FEZ TREINOS FECHADOS?

Perdemos
Não é fácil perder um campeonato que todos sabemos não era difícil vencer. Difícil é a Copa do Brasil, o Brasileirão e outros. O Mineiro gente é muito fácil. Só tem dois jogos realmente mais empolgantes, os dois jogos da final. A moçaiada de Lourdes é que não se iluda, seu time é fraco, muito fraco, só perdemos porque pelo que parece nossa Comissão técnica e Diretoria AINDA NÃO ENXERGOU que temos muita deficiência no setor ofensivo. Arrascaeta, Sóbis, Ábila e Thiago Neves não produzem um terço do que deveriam. Quando enfrentamos times um pouco mais qualificados cadê o futebol destes caras? Arrascaeta fez o quê hoje? E Thiago Neves? Errou chutes infantilmente? E Sóbis? Perdeu a bola do 2º gol das frangas e ficou lá esperando que o juiz marcasse faltas. Será que ele não percebeu que o juiz MARCAVA TUDO para o time da Federação Mineira e quase nada para o Cruzeiro? E Ábila? Fez um golaço mas não podemos deixar de considerar que ele não é tudo que precisamos. Um reserva, mas nunca titular. Ele até se esforça mas carece muito de qualidade técnica.

Impressiona
A força que a equipe da TV GLOBO GOLPISTA faz para enaltecer o time rosa. Enaltecer técnico, presidente e jogadores. Incrível o esforço que fazem para dizer que a unha de Rafael tocou na bola assim que a juizada que quer agradar a FMFrangas marca um escanteio quando teria de ser tiro de meta. Incrível a luta com as imagens para dizer que o Rafinha mesmo levando uma cotovelada fez uma falta ao cair por cima do jogador franga. Desanima gente, assistir uma boçal com microfone falando baboseiras para agradar a frangaiada. O cara era péssimo árbitro e agora não passa de um medíocre comentarista. Aliás não, façamos justiça, não é um boçal não. são pelo menos 3. 


FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG X CRUZEIRO
Local: Estádio Independência, Belo Horizonte (MG)
Data: 07 de maio de 2017, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Igor Júnio Benevenuto
Assistentes: Pedro Araújo Dias Cotta e Ricardo Júnior de Souza
Gols: Robinho, aos 13 minutos do primeiro tempo, Elias, aos 24 minutos do segundo tempo (Atlético); Ramon Ábila, aos 7 do segundo tempo
Cartões amarelos: Hudson, Rafinha (2), Raniel (Cruzeiro); Elias, Carioca, Adilson (2) (Atlético)
Cartão vermelho: Rafinha (Cruzeiro); Adilson (Atlético).
ATLÉTICO-MG – Victor, Marcos Rocha, Leo Silva, Gabriel, Fábio Santos, Rafael Carioca, Elias (Danilo), Adilson, Robinho (Cazares), Otero (Maicosuel), e Fred.
Técnico: Roger Machado.
CRUZEIRO – Rafael, Mayke, Léo, Caicedo, Diogo Barbosa, Henrique, Hudson (Ramon Ábila), Thiago Neves, Rafinha, Arrascaeta (Raniel) e Rafael Sóbis (Alisson).
Técnico: Mano Menezes.

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Cruzeiro vence mesmo praticando um futebol medíocre: 1x0

Cruzeiro 1 x 0 - Chapecoense - Mineirão - Oitavas de Final - Jogo de Ida - Copa do Brasil 
Raniel fez um belíssimo gol que nos garantiu a vitória.
Medíocre
Esta é a palavra que melhor descreve o futebol que o Cruzeiro apresentou ontem a noite contra o time reserva da Chapecoense. Impressionante como não dava em nada as trocentas jogadas ofensivas do Time Azul. Jogamos o tempo inteiro no ataque mas fomos atacados no contra ataque por algumas vezes com grande perigo. Perigo que não conseguimos oferecer ao gol da Chape. Não fosse o lindo e antológico gol e Raniel a situação teria ficado bem pior com certeza, afinal uma vitória ainda garante alguma vantagem para o jogo de volta em S.Catarina. 

O jogo
O gol saiu de um belo chute de fora da área, aos 2 minutos de jogo o que com certeza, já favoreceu demais para que a vitória fosse conquistada. Qualquer time que leve um gol logo no início sente o baque e tem boas chances de não conseguir reverter. O pior é que o Cruzeiro jogava melhor e mantinha total domínio do jogo. A Chape só queria manter as coisas como estavam mas no 2º tempo deu um pouco mais de trabalho porque o Cruzeiro parece ter se cansado e diminuiu um pouco o ritmo. A torcida saiu preocupada pelo futebol apresentado. Na defesa vamos até muito bem, não tomamos gols, mas no ataque falta demais um finalizador, alguém que receba a bola e coloque nas redes.

Dava até pra decidir a classificação
A Chape vejam só, veio com o time reserva e soube anular todas as jogadas ofensivas do Cruzeiro exceto a do lance do gol que foi realmente um lance imprevisível, incomum. O Cruzeiro não soube aproveitar todas as jogadas que criava. Ninguém conseguia finalizar com qualidade. Mano precisa muito estudar e resolver esse problema que é o Calcanhar de Aquiles do time. Domingo na final não podemos levar gol e principalmente precisamos FAZER GOLS, como será?


FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 1 X 0 CHAPECOENSE
Local: Estádio Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data: 03 de maio de 2017, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza (SP)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (SP)
Cartões Amarelos: Dedé (Cruzeiro); Fabrício Bruno, Andrei Girotto, Wellington Paulista (Chapecoense)
Gol: CRUZEIRO: Raniel, aos 2 minutos do primeiro tempo
CRUZEIRO: Rafael; Lennon, Dedé, Caicedo e Diogo Barbosa; Henrique, Lucas Silva (Hudson), Thiago Neves (Rafinha) e Alisson; Arrascaeta e Raniel.
Técnico: Mano Menezes
CHAPECOENSE: Elias, Apodi, Victor Ramos, Fabrício Bruno, Diego Renan, Andrei Girotto, Nathan, Nenén, Niltinho, Osman, Túlio de Melo (Wellington Paulista).
Técnico: Vagner Mancini
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Vão pra lá, venham pra cá, naveguem pois:

Notícias do Maior de Minas - Site Oficial

Globo Esporte

Você no mapa:


Visitor Map