segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Cruzeiro empata amistoso com Shakhtar: 1x1

Cruzeiro 1 x 1 Shakhtar Donetsk - Ucrânia - Est. Mané Garrincha - Amistoso
Tem estrela esse Judivan.
Jogo brigado
O Shaktar estava disposto e com certeza muito motivado para vencer o Bi Campeão Brasileiro. Não cedeu o empate com facilidade. Se jogamos um pouco abaixo do que esperávamos no 1º tempo, na etapa final fomos à luta e buscamos o empate com um time ainda mais desentrosado que o do início do jogo. Mas Judivan, mostrou que tem estrela e num de seus primeiros lances no jogo apresentou seu cartão de visitas para o time ucraniano. Arrancou fulminante em direção ao gol após receber ótimo lançamento de Damião, deixou os beques para trás e chutou de direita para a defesa do goleiro. A bola sobrou de novo para o garoto que fulminou de esquerda sem chance para o goleiro já batido. 

Em formação
A torcida precisa ser paciente. Estamos com um novo time, tem muita gente nova entrando. Nem Marcelo Oliveira sabe ainda qual o time titular ideal. Estamos na fase de testes e com certeza teremos um time competitivo com a entrada dos recém contratados que ainda nem jogaram. Não há motivos para desespero e nem desconfiança. Como escreveu meu amigo Jorge Schulman em sua coluna no site do Cruzeiro.org,  tivemos dois anos maravilhosos mas nada do que até agora ocorreu (as saídas) pode garantir que não teremos tanto brilho neste 2015! Larguemos o cinza do pessimismo e vamos acreditar no Azul Celeste do otimismo.

Considerando
Que o Shaktar tem o time formado e que tem entrosamento não podemos dizer que o resultado foi ruim. O empate foi justo porque cada time jogou melhor um tempo e o Campeão Ucraniano tem um bom time, recheado de jogadores de todo o mundo. Nosso time em formação não foi dominado pelo time deles, brigou de igual para igual e tomamos um gol que normalmente não tomaríamos, Fábio normalmente defende uma bola daquelas. O teste foi positivo e o time respondeu satisfatoriamente dadas as condições de início de temporada.



FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 1 X 1 SHAKHTAR DONETSK-UCR
Local: Estádio Mané Garrincha, em Brasília-DF
Data: 25 de janeiro de 2015, domingo
Horário: 17 horas (de Brasília)
Público pagante: 6.872
Renda da partida: R$ 511.480,00
GOLS:
CRUZEIRO: Judivan, aos 21 minutos do 2º tempo
SHAKHTAR DONETSK: Alex Teixeira, aos 29 minutos do 1º tempo
CRUZEIRO: Fábio, Mayke, Léo, Bruno Rodrigo, Gilson; Felipe Seymour (Bruno), Henrique, Júlio Baptista (Joel), Marquinhos (Judivan); Willian (Neilton) e Leandro Damião
Técnico: Marcelo Oliveira
SHAKHTAR DONETSK : Kanibolotskiy, Srna (Dentinho), Rakitskiy, Kryvtsov (Kucher) e Ismaily (Márcio Azevedo); Ilsinho (Fred), Stepanenko (Fernando), e Alex Teixeira; Marlos (Douglas Costa), Taison (Bernard) e Luiz Adriano (Gladkiy)
Técnico: Mircea Lucescu

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

1º amistoso da temporada foi disputado no Paraná: 1x0

Londrina 1 x 0 Cruzeiro - Estádio do Café - Amistoso

1º amistoso
Não é para preocupar, claro que não. Perdemos a 1ª peleja do ano para o time paranaense. Não é novidade que o Londrina pareceu mais motivado, com mais vontade de vencer o jogo. O Cruzeiro lento e um pouco desinteressado (parte pelo calor e parte pela forma física ainda fora do ideal) mostrou-se também um pouco desentrosado. A arbitragem também atrapalhou não marcando pênalti claro em Júlio Batista. No finalzinho do 1º tempo o Londrina fez o gol que lhe deu a vitória no jogo.

Destaques
Breno Lopes foi um dos que se destacaram. Participou bastante do jogo. Fábio não teve culpa no gol que tomou, fez pelo menos 2 defesas difíceis no jogo e Rafael que lhe substituiu pelo menos 1. Manoel também foi muito bem na defesa. Damião e Júlio Batista também produziram muito mas não tiveram efetividade. No 2º tempo o Cruzeiro voltou um pouco melhor, mas não o suficiente para mudar o placar. Houveram muitas substituições que se de um lado prejudicaram o desenrolar da partida, possibilitaram ao técnico avaliar o desempenho dos atletas em campo.

Time novo
Ainda é muito cedo e nem é correto avaliar o time por um amistoso. Júlio Batista deu o alerta e esta correto. Não será uma derrota na estreia, em jogo sem importância que dirá o que será o Cruzeiro de 2015. Temos um time forte, com uma boa base de 2014 e 2013 onde fomos bi-campeões brasileiros. Temos de exercitar a confiança no nosso elenco e no nosso técnico. Não há nada ainda que possa dizer se continuaremos ou não campeoníssimos com o Cruzeiro 2015.



FICHA TÉCNICA
LONDRINA 1 X 0 CRUZEIRO
Local: Estádio do Café, em Londrina (PR)
Data: 18 de janeiro de 2015, domingo
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Antonio Denival de Morais (PR)
Assistentes: Marcos Rogério (PR) e Alessandro Mori (PR)
Cartões amarelos : (Londrina) (Anderson Cruzeiro) Willian Farias
GOL:
LONDRINA: Celsinho, aos 44 minutos do primeiro tempo
LONDRINA: Victor; Lucas Ramon, Dirceu, Silvio (Marcondes) e Alan Vieira (Lino); Germano (Guilherme Amorim), Bidia (Fabinho), Léo Maringá (Anderson) e Celsinho (Rone Dias); Hiago (Quirino) e Neílson (Kanu)
Técnico: Claudio Tencati  
CRUZEIRO: Fábio (Rafael); Ceará (Fabiano), Léo (Bruno Rodrigo), Manoel e Breno Lopes; Henrique (Felipe Seymour), Lucas Silva (Willian Farias), Everton Ribeiro (Joel) e Júlio Baptista (Marquinhos); Willian (Judivan) e Leandro Damião (Neilton)
Técnico: Marcelo Oliveira

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

2014 O ano do TETRA – 4 títulos incontestáveis!


2014 O ano do TETRA – 4 títulos incontestáveis!

Se 2013 foi o ano do TRI, 2014 foi o ano do TETRA; e que biênio maravilhoso para o Cruzeiro. Em 2013 assumimos a liderança do Campeonato Brasileiro na 1ª rodada mas tivemos tropeços e voltamos a assumi-la em rodadas seguintes, porém, de forma definitiva só a assumimos novamente na 16ª rodada e daí a mantivemos até chegarmos à conquista do TRI na 34ª com 74 pontos. Em 2014 começamos melhores ainda e assumimos a liderança 6ª rodada para jamais a abandonar até chegarmos à conquista do TETRA na 36ª rodada com 76 pontos.

O Cruzeirense tem muito do que se orgulhar, todas as nossas 4 conquistas do título de maior expressão do Futebol Brasileiro foram heróicas, históricas e absolutamente incontestáveis. Se em 1966 ganhamos os dois jogos em cima do Santos do Poderoso Rei do Futebol, Pelé, um time temido em todo o mundo, nos demos ainda ao luxo de golear o Peixe por 6x2 no Mineirão em 30/11/1966. Nosso primeiro título nacional foi conquistado de maneira invicta, não perdemos nenhum jogo. De 66 pra frente demoramos a novamente a conquistar o maior título do futebol no Brasil. Só em 2003, porém, neste ano ganhamos tudo. Fomos campeões do Mineiro, campeões da Copa do Brasil e do Brasileiro. O nosso Cruzeiro é o único time do Brasil a poder estampar em seu escudo a TRÍPLICE COROA que sintetiza as 3 grandes conquistas numa só temporada. No Brasileiro conquistamos 100 pontos e fizemos 102 gols. Dos 46 jogos tivemos apenas 8 derrotas, ainda 7 empates e 31 vitórias, números espetaculares. O vice-campeão ficou com 13 pontos a menos que o Cruzeiro.

Em 2013 novos números espetaculares, tivemos 23 vitórias, 7 empates e 8 derrotas em 38 jogos e conquistamos 76 pontos. Fizemos 11 pontos a mais que o vice campeão. Ganhamos de todos os times participantes nesta edição do campeonato, algo até então inédito. O TRI foi mais um título que o Cruzeiro conquistou de forma incontestável, soberana.

Mas 2014 estava logo ali e as coisas não iriam mudar quase nada. O Cruzeiro manteria seu predomínio no futebol Brasileiro. E foi mesmo assim, mantivemos uma liderança incrível no campeonato. Das 38 rodadas, em 32 o Cruzeiro foi o líder. Absoluto. A grande imprensa, incomodada criou o termo CAÇA A RAPOSA para entusiasmar o Brasil numa caçada implacável contra o MELHOR TIME  do país. A disputa foi duríssima, tivemos muitas e grandes dificuldades para suplantar na busca do TETRA. Fizemos tantos gols que foram anulados que em momento de desabafo Dedé deixou escapar que “já fizemos uns oito gols anulados”. Incrível como isso pôde acontecer. Nilton protestou também dizendo que “nossa equipe tem que jogar contra os 11 e em alguns momentos contra os gols mal anulados”.

Mas o Cruzeiro tinha de superar tudo isso. Conquistar o bi campeonato de forma consecutiva não é tarefa fácil, sobretudo e principalmente para times de fora do eixo Rio-SP. Uma tarefa hercúlea. Passamos rapidamente por alguns momentos de leve incerteza, mas, fomos fortes o suficiente para manter nossa liderança e não deixar que ninguém se aproximasse mais de nós. Todas as partidas foram inesquecíveis, partidas que levavam os torcedores ao delírio no final, mas o nervosismo era constante devido a grande conquista que estava a todo tempo sendo desafiada por todos os 19 clubes rivais no Brasileiro. Manter como o Cruzeiro tem mantido lideranças indiscutíveis e tão longas no campeonato Brasileiro não é para qualquer time, é algo digno de comemoração e de muito reconhecimento por parte de todos os que amam o futebol, o tal esporte bretão.

O Cruzeiro foi mais uma vez absoluto em 2014, não só mereceu o título como merecerá registro na história do Campeonato Brasileiro e também na história do futebol nacional por mais este grande feito do time Celeste. Todos precisarão se lembrar sempre dessas Páginas Heróicas e Imortais que o Cruzeiro escreveu neste 2014 e nas 3 outras vezes em que erguemos a taça de Campeão Brasileiro.

Este texto foi originalmente publicado no Portal Fanáticas Celeste.

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Vão pra lá, venham pra cá, naveguem pois:

Notícias do Maior de Minas - Site Oficial

Globo Esporte

Você no mapa:


Visitor Map