quinta-feira, 26 de abril de 2018

Cruzeiro atropela La U com goleada histórica na Toca III: 7x0

Cruzeiro 7 x 0 Universidad De Chile - Mineirão - Toca III - 4ª Rodada - Grupo 5 - Libertadores 2018
A Nação Azul merecia esta vitória.
Massacre = Sangue Azul lava a alma dos brasileiros
Foi um massacre. Novamente o Cruzeiro entrou em campo com "sangue nos zóio" e massacrou o adversário que desta vez foi a Universidad De Chile. O placar servirá para melhorar o saldo de gols do Time Celeste na disputa pela vaga para a próxima fase da Taça Libertadores. O jogo foi atípico. Duas expulsões totalmente acertadas, ajudaram, não podemos negar, a preparar o cenário para os 7x0. O Cruzeiro assim devolve ao seu Torcedor um presente pelo apoio incondicional de sua torcida. La U ficou perdida em plena Toca III, atordoados os chilenos não conseguiram impedir o massacre Azul. O Cruzeiro neste jogo lavou a alma dos Mineiros, esta goleada ultrapassou a humilhação brasileira na copa de 2014. Fizemos 7 como os alemães e não levamos nenhum. Alma lavada pelo sangue Azul.

O jogo
O Cruzeiro entrou decidido. Como já afirmavam antes do jogo Thiago Neves e Henrique o time "entraria com intensidade e atitude para voltar a vencer". Foi o que vimos. Um time decidido a buscar a vitória com determinação, com vontade e com muita entrega. Mano não inventou, armou um time ofensivo e Thiago Neves como armador, na posição que ele mais rende. Já nos primeiros minutos o Time mostrou que dominaria a partida e aos 9 minutos Thiago Neves abriu o marcador. Sempre melhor e sem dar chances a La U aos 17 Rafinha teve sua chance de ampliar o placar e rascunhar o que seria a goleada. Aos 43 Sassá de pênalti, sofrido por Arrascaeta fez o 3º. Logo após o 1º jogador da Universidad é expulso. No 2º tempo aos 3 minutos depois de uma boa roubada de bola Arrascaeta é seguro. Echeverria é expulso, já tinha amarelo. Aos 7 Arrascaeta já concretizava a goleada com um belo gol, 4x0. Aos 16 Sassá marcava novamente e aos 29 é novamente Thiago Neves quem marca. Para fechar a goleada Sóbis marca aos 35 o gol de número 7. Os jogadores de La U estavam entregues, sem reação. Uma derrota humilhante.

Destaques
Não foi um jogo perfeito no sentido da qualidade técnica, foi perfeito no sentido da vitória, que veio em um ótimo e importante momento, porque vai melhorar muito as chances do Cruzeiro nesta Libertadores, porque tira um peso grande do elenco, porque valoriza a belíssima participação da Torcida Azul. O time todo jogou bem mas Arrascaeta, Egídio, Thiago Neves, Sassá, Rafinha, Lucas Silva sobretudo, jogaram muito hoje. Podem mais, mas hoje chegaram bem mais perto do que se espera deles. A defesa funcionou bem mas, ainda há o que melhorar. O Cruzeiro precisava de uma vitória incontestável, sólida para quem sabe recomeçar sua trajetória na temporada. Ela veio, veremos se as coisas agora se ajeitam. Avante Azul. 
Sassá disse que o Atacante Azul é ele, que esta de volta.
FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 7 X 0 UNIVERSIDAD DE CHILE
Local: Estádio Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data: 26 de abril de 2018 (Quinta-feira)
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Roddy Zambrano Olmedo (Equador)
Gols:
Thiago Neves – aos 9 do primeiro tempo e aos 29 do segundo tempo
Rafinha – aos 17 do primeiro tempo
Sassá – aos 43 do primeiro tempo e aos 16 do segundo tempo
Arrascaeta – aos 7 do segundo tempo
Rafael Sóbis – aos 35 do segundo tempo
Cartões amarelos: Vilches (2), Echeverría (2) (La U); Henrique (Cruzeiro)
Cartões Vermelhos: Vilches, Echeverría (La U)
CRUZEIRO: Fábio; Edílson (Lucas Romero), Dedé, Léo e Egídio; Henrique (Ariel Cabral), Lucas Silva, Rafinha e Thiago Neves; Arrascaeta e Sassá (Rafael Sóbis).
Técnico: Mano Menezes
UNIVERSIDAD DE CHILE – Herrera; Jara, Vilches, Echeverría, Matías Rodriguez, Reyes, Pizarro (Contreras), Beausejour, Araos, Soteldo (Rafael Caroca), Pinilia (Guerra)
Técnico: Guilhermo Hoyos

domingo, 22 de abril de 2018

Cruzeiro decepciona no Rio: 0x1

Fluminense 1 x 0 Cruzeiro - Maracanã - 2ª rodada - Brasileirão 2018
Decepção
A Torcida Azul vislumbrou uma bela vitória na tarde de hoje no Maraca para afastar a nhaca da má sorte do Maior de Minas. Aos 15 minutos  do 1º tempo, por obra do destino, com uma expulsão no Fluminense, a possibilidade parecia se concretizar. Então, com um jogador a mais a façanha de vencer o time da casa passou a ser muito acessível. O Cruzeiro tinha tudo para conseguir enfim sua primeira vitória no Brasileirão, marcar enfim seu 1º gol na competição e se posicionar, conforme o próprio Mano Menezes dizia antes do início da campeonato, entre os primeiros colocados para poder pensar em brigar pelo Tetra Campeonato em 2018. Nada disso se transformou em verdade. Nada. Apenas a decepção do 1º jogo se repetiu, aliás, também com um a mais em campo. Esse time não tem espírito de vencedor. Falta conjunto, falta química, falta liderança, falta muita coisa.

O jogo
Os times começaram o jogo praticamente iguais. Um pouco mais de posse de bola do time da casa mas nada que saltasse aos olhos. Aos 15 minutos num lance de MMA um jogador do tricolor foi CORRETAMENTE expulso. Vermelho direto. Quase machuca gravemente Sassá. Daí pra frente era de se esperar que o time visitante partisse para cima e dominasse o jogo. A única coisa que efetivamente ocorreu foi a manutenção da posse de bola. Uma posse improdutiva, ineficiente e que demonstrou claramente a incompetência do Time de Mano de arrematar jogadas ofensivas. Era um passinho pra lá, outro pra cá, uma atrasadinha aqui, um lançamentozinho acolá e nada de finalização e nem de levar perigo ao gol adversário. Com mexidas erradas o time continuou a maior parte do 2º tempo também repetindo o erro da etapa inicial. Só no finzinho quando o Fluminense abdicou de atacar, até pelo cansaço, é que conseguimos fazer alguma pressão... sem muito perigo ainda assim.

Destaques
Infelizmente Robinho não é mais o mesmo. Chega! Precisa se reciclar na reserva, não acrescenta nada ao time. Mancuello não merece começar jogando, não pode ser mais que um reserva no Cruzeiro. Não mostrou futebol até o momento que justificasse sua contratação. Na zaga quem realmente mostra segurança é Léo. Dedé atabalhoado demais tem mais acertado que errado, mas, é sempre um terror suas entradas nos adversários dentro da área.Sobra pés, pernas e mãos para todos os lados, uma temeridade. No meio Lucas Silva até que lutou, mas foi improdutivo neste jogo. No ataque Sassá não recebeu boas bolas e teve de ficar apenas abalroando os beques do tricolor na disputa ferrenha pelas bolas que chegavam, tal e qual um cão faminto disputando migalhas de pão embaixo da mesa do jantar. Mano demorou a substituir e não sacou Robinho que estava bem inferior ao Mancuello que já deixava a desejar. Parece que o Mano ainda não enxergou a péssima atuação do time em bolas paradas. A absoluta maioria dos gols que levamos são de cobranças de escanteio e faltas, um disparate para qualquer time que almeje alguma coisa. Este foi um daqueles jogos em que temos a impressão de que se durasse 3 dias não haveria alteração no placar. 


FICHA TÉCNICA 
FLUMINENSE 1 X 0 CRUZEIRO

Data / hora: 22/04/2018, às 16h (de Brasília)
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza (SP)
Auxiliares: Alex Ang Ribeiro (SP) e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (SP)
Renda / Público: R $ 263.145 / 8.671 pagantes
Gol: Pedro (FLU) - 2 min do segundo tempo

Fluminense: Júlio César; Renato Chaves, Gum e Frazan; Gilberto, Richard, Jadson, Sornoza (Luan Peres) e Ayrton Lucas; Pedro (Douglas) e Marcos Júnior (Pablo Dyego) / Técnico: Abel Braga

Cruzeiro: Fábio; Lucas Romero, Dedé, Léo e Marcelo Hermes; Lucas Silva (David), Henrique, Mancello (Arrascaeta), Robinho e Thiago Neves; Sassá / Técnico: Mano Menezes

quinta-feira, 19 de abril de 2018

Cruzeiro só empata no Chile: 0x0

Universidad de Chile 0 x 0 Cruzeiro - Est. Nacional - Chile - 3ª rodada - Grupo 5 - Libertadores 2018

Empate amargo
O Cruzeiro foi ao Chile tentar sua primeira vitória na Libertadores 2018 mas mesmo jogando melhor que a Universidad não conseguiu seu objetivo. Os times se respeitaram muito no 1º tempo e no 2º o jogo ficou mais aberto mas mesmo assim o gol não saiu de nenhum dos lados. O jogo era entre as intermediárias. Os goleiros poucas vezes interviram. O Cruzeiro sentiu demais a falta de um atacante que pudesse arrematar as jogadas ofensivas criadas. Ainda assim por pouco Lucas Silva não marcou ao mandar uma bomba no travessão de fora da área.



O jogo

O Cruzeiro foi melhor o jogo inteiro. Foi mais ofensivo e mesmo tendo uma posse de bola ligeiramente menor que o time da casa criou bem mais jogadas ofensivas e finalizou bem mais. Não teve o capricho no arremate final das jogadas, não teve quem empurrasse a bola para o gol dentro da área. Por outro lado a defesa Celeste foi muito bem e não deu moleza para o La U. Fábio fez apenas uma defesa consideravelmente difícil. Mano poderia ter entrado com o Sassá logo na virada do 1º tempo, o atacante deu uma nova dinâmica ao jogo mas, teve pouco tempo de atuação em campo.



Tabela

Com o empate a situação do Time Azul não é das melhores. Em 3º no grupo terá obrigatoriamente de vencer este mesmo time semana que vem no Mineirão. Tarefa que pelo que se viu hoje não é nem um pouco difícil, mas, estamos disputando a Libertadores e aí tudo pode acontecer pois todos se motivam bem mais para estes jogos. Talvez tenha faltado um pouquinho a mais de motivação no Cruzeiro neste jogo. Era muito importante a vitória. Temos agora 2 pontos contra 5 da Universidad e 7 do Racing. Teremos obrigação de vencer em BH e depois tentar uma vitória contra o Vasco no Rio, aí poderemos concretizar nossa classificação quem sabe com um empate com o Racing no Mineirão. Avante Cruzeiro.


FICHA TÉCNICA
UNIVERSIDAD DE CHILE X CRUZEIRO
Local: Estádio Nacional Júlio Martínez, Santiago
Data: 19 de abril de 2018 (Quinta-feira)
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Victor Carrillo (Peru)
Cartões: Lucas Silva, Dedé (Cruzeiro); Reyes, Vilches (La U)
UNIVERSIDAD DE CHILE – Herrera; Vilchez, Echeverría, Contreras (Guerra), Matías Rodríguez (Schultz), Reyes, Pizarro, Monzón, Araos, Soteldo, Pinilla.
Técnico: Guillermo Hoyos
CRUZEIRO: Fábio; Edílson, Dedé, Léo e Egídio; Henrique, Lucas Silva (Ariel Cabral), Mancuello (Robinho), Rafinha e Thiago Neves; Arrascaeta (Sassá).
Técnico: Mano Menezes

sábado, 14 de abril de 2018

Cruzeiro começa mal o Brasileirão 2018: 0x1

Cruzeiro 0 x 1 Grêmio - Toca III - 1ª Rodada - Brasileirão 2018

Começou mal
O Cruzeiro não jogou. Esta é a verdade que resume os 90 minutos do jogo entre os dois campeões estaduais. Sem inspiração alguma, travado, o time de Mano Menezes não criou boas oportunidades ofensivas, exceto nos 5 minutos finais. Mesmo tendo jogado com 1 homem a mais, por um bom tempo, o Cruzeiro não soube se aproveitar da vantagem e deixou-se dominar pelo time gaúcho que mandou no jogo e mereceu a vitória. Talvez com 2 homens a mais empatássemos e talvez com 3 homens a mais conseguiríamos a vitória. É a impressão que ficou após assistir os 90 minutos de peleja. Pelo lado do tricolor gaúcho feia foi a artimanha que seus jogadores utilizaram de ficar caindo em campo para que o tempo passasse. Não precisavam disso.

O jogo
O primeiro tempo foi totalmente em câmara lenta. Os dois times se respeitando muito e o Cruzeiro parecia não saber que jogava na TOCA III. A posse de bola do Grêmio era algo anormal para quem jogava na casa do Maior de Minas. O time sulino mostrou um futebol muito seguro, um entrosamento grande e pode ser um grande adversário no nosso caminho rumo ao Penta! Os goleiros quase não participaram do jogo. Pelo lado do Cruzeiro impressionou a falta de criatividade ofensiva. Tivemos uma (ou mais) meia dúzia de escanteios que não deram em nada. O jogador do Cruzeiro vinha pela direita tentava cruzar para a área, a bola batia num defensor gremista e ia a escanteio. O tiro esquinado era cobrado e desperdiçado. Impressionante. No segundo tempo as coisas não mudaram muito, para o Cruzeiro já que no comecinho, aos 9 minutos o Grêmio fez seu gol. O jogo continuou truncado e com o Cruzeiro sem inspiração. Ninguém criava nada, nem Thiago Neves, nem Arrascaeta, nem Sóbis e nem Robinho que parece nem ter jogado pois não apareceu no jogo.

Destaques
O Cruzeiro foi mesmo muito mal. Desanima ver o time jogar com tanta inoperância. Dá um pouco de desespero pensar que a equipe não foi bem montada para a temporada. As substituições de Mano Menezes com certeza não foram acertadas. Rafael Marques infelizmente não deveria vestir o Manto Azul, Mancuello não tem jogado bem nas poucas vezes que tem entrado e Sassá esta ainda sem ritmo e não tem acrescentado nada ao time. Estamos sem alternativas para quando o time titular vai mal e isto é preocupante porque o Brasileiro é muito longo e apenas começou. Avante Celeste.


FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO X GRÊMIO
Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 14 de abril de 2018 (sábado)
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: 
Rodolpho Toski Marques (Fifa-PR)
Assistentes: 
Bruno Boschilia (Fifa-PR) e Victor Hugo Imazu dos Santos (PR)
Cartões amarelos: 
Ariel Cabral e Dedé (Cruzeiro; Ramiro (Grêmio)
Cartões vermelhos: Kannemann (Grêmio)
Gols:
CRUZEIRO: —
GRÊMIO: André, aos 9 minutos do segundo tempo;
CRUZEIRO: Fábio; Edílson, Dedé, Léo e Egídio; Henrique, Ariel Cabral (Mancuello), Arrascaeta, Robinho (Rafael Marques) e Thiago Neves; Rafael Sobis (Sassá)
Técnico: Mano Menezes
GRÊMIO: Marcelo Grohe; Léo Moura, Paulo Miranda, Kannemann e Bruno Cortez; Arthur, Maicon (Jailson), Ramiro, Cícero e Everton (Michel); André (Bressan)
Técnicoo: Renato Gaúcho

domingo, 8 de abril de 2018

Para que vantagem? AQUI É CRUZEIRO, CAMPEÃO: 2x0

Cruzeiro 2 x 0 Atl.Mineiro - TOCA III - Final - 2º jogo - Camp. Mineiro 2018
Arrascaeta o Carrasco abriu o placar. AQUI NÃO!

Thiago Neves um gigante em campo. Autor do 2º gol.
Aqui não, Aqui não!
Ao fazer o 1º gol do Cruzeiro, Arrascaeta comemorou com muita vontade e bradou repetidamente: Aqui não, aqui não! O Cruzeiro é gigante, não poderia aceitar que um time inferior tecnicamente, um clube pequeno pudesse tripudiar do Maior de Minas em seus domínios. O jogo de domingo passado foi apenas uma mentira, um 1º de abril. O time do 6a1o não tem qualidade técnica para vencer o Cruzeiro, é fato. O que houve foi um acidente. Fizeram seus gols em seguida, todos de bola parada. Eles não conseguiriam segurar o Time da Melhor Campanha do campeonato por todo o tempo. Na etapa final daquele jogo a história já era outra. Foi apenas um tempo nos dois jogos em que eles deram sorte, muita sorte.

O jogo - 1º tempo
O Cruzeiro começou o jogo já demonstrando que seu ânimo era outro, que entrou em campo para reverter a situação sem muita demora. Os jogadores estavam com "sangue nos zóios", como se diz. O Time Azul dominava a partida quando logo aos 3 minutos de jogo Arrascaeta de cabeça fez o 1º gol do Cruzeiro num lançamento perfeito do lateral Edilson. 1x0. A frangaiada se assustou e se encolheu temendo que o Trator Azul passasse sobre elas. O Cruzeiro continuou a dominar a partida. Só por volta dos 15 minutos do 1º tempo é que Fábio viu a cor da bola. Aliás no jogo todo praticamente não pegou na bola. Aos 21 o pequeno jogador do time de Vespasiano deu uma cotovelada em Edilson e foi corretamente expulso, mesmo que a besta que comenta o jogo pela globoGolpista insistisse que os dois deveriam ser expulsos. Ele já sentia que seu time não aguentaria a pressão. 

2º tempo 
Se com 11 em campo as Rosinhas seguiam sem pegar na bola, com 10 ficou ainda menor a participação delas no jogo. O Cruzeiro era soberano. Aos 7 minutos numa bela enfiada de bola de Robinho, Thiago Neves deu um toquinho e mandou para as redes. Era o que precisávamos. Era a redenção do Time Azul que jogou apenas um tempo no jogo anterior. Era a explosão Azul na Toca III. O jogo prosseguiu dominado pelo Cruzeiro. O Time de Mano Menezes dosou inteligência com bom senso e não entrou na provocação do timinho de Vespasiano. O juiz perdido no jogo, começou então a distribuir cartões. Aos 46 expulsou mais uma franga mas, aí neste momento, o Cruzeiro já era Campeão Mineiro de 2018. A Torcida Azul já festejava, já gritava É CAMPEÃO.

Profeta Azul e os destaques
Mano montou bem o time. A participação de Dedé garantiu mais qualidade pelo alto a nossa defesa. Thiago Neves comandou o time com empolgação e confiança. Sóbis também mostrou muita raça assim como Léo, os dois mostraram também muito empenho. Henrique idem. Egídio tanto apoiou bem o ataque como também ajudou muito o setor defensivo. Ariel foi um maestro no meio com a grande ajuda de Robinho. Arrascaeta não brilhou mas mostrou mais uma vez que define jogos. Rafinha entrou bem e descansado deu muito trabalho à galinhada. Thiago Neves o Profeta disse no intervalo que o Cruzeiro faria mais um gol no 2º tempo, mas antes do jogo já havia dito que seria um gol em cada tempo. Acertou? Cruzeiro Campeão Mineiro de 2018.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 2 X 0 ATLÉTICO
Local: Estádio Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data: 08 de Abril de 2018, Domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (FIFA)
Auxiliar: Marcelo Carvalho Van Gasse (FIFA) e Miguel Cataneo Ribeiro Costa (CBF).
Gols: Arrascaeta, aos 3 minutos do primeiro tempo, Thiago Neves, aos 7 minutos do segundo tempo (Cruzeiro)
Cartões amarelos: Ricardo Oliveira, Patric (Atlético); Edilson, Thiago Neves, Léo, Robinho, Egídio, Ariel Cabral (Cruzeiro)
Cartões Vermelhos: Otero, Patric (Atlético)
CRUZEIRO – Fábio, Edilson (Mancuello), Léo, Dedé, Egídio, Henrique, Ariel Cabral, Robinho (Rafinha), Thiago Neves, Arrascaeta (Ezequiel) e Rafael Sóbis.
Técnico: Mano Menezes.
ATLÉTICOMG: Victor; Patric, Leonardo Silva, Gabriel e Fábio Santos; Adilson, Elias (Roger Guedes) e Cazares; Luan (Gustavo Blanco), Otero e Ricardo Oliveira (Erik)
Técnico: Thiago Larghi
A Nação Azul acreditou todo o tempo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Vão pra lá, venham pra cá, naveguem pois:

Você no mapa:


Visitor Map