sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Uma torcida apaixonada que não aparece na tv






Clique nas imagens para ampliá-las.
Já foi dito que os psicólogos acreditam na tese de que uma mentira repetida muitas vezes vira verdade. Nada mais correto que essa frase para servir de introdução ao nosso texto.

A imprensa mineira (parte da imprensa da capital para ser mais específico), tem ao longo dos anos apregoado sucessivamente que a torcida do Atletico-MG é a mais apaixonada do Brasil, e que não abandona o time nunca: MENTIRA DESLAVADA! Isso é produto exclusivo de uma ação de gatekeeper muito bem estruturada.

Infelizmente por motivos que vamos tentar resumidamente expor aqui, isso ocorre e tem influenciado sobremaneira a opinião pública brasileira. Evidente! A imprensa da capital mineira tem seu poder, Minas Gerais é o 2º estado da federação em poder econômico, também por isso a imprensa consegue impor seus conceitos, embora desvirtuados.
Agora porque existe essa situação? Porque essa parte da imprensa (a maioria) tanto faz pra defender o CAM?

Bom isso tem raízes históricas. O CAM além de ser o primeiro clube de futebol da capital, nasceu praticamente junto com a cidade. Foi fundado por estudantes (sobretudo naquela época, 1908, estudar era incontestavelmente uma característica da elite) e logo caiu na simpatia da população da nova capital. Temos de compreender que isso é relevante pra que haja, até hoje essa parcialidade em torno do time secundino.

Já o Cruzeiro nasceu em 1921, fundado por trabalhadores imigrantes e familiares de imigrantes italianos. Proletariado que sofreu preconceitos e muita dificuldade pra se erguer. Foram anos duros e que só a fibra dos imigrantes pôde vencer.

Mas com este espírito de luta foi sendo formado o timbre que iria permear a história do clube palestrino, como era conhecido à época. Além destas origens humildes o Cruzeiro foi perseguido quando da eclosão da 2ª Guerra Mundial, italianos e tudo que lembrasse os INIMIGOS, não era bem visto, e o clube ainda jovem, teve de mudar seu nome para sobreviver.

Não citamos esse fato como algo que possa servir de alimento a um sentimento de compaixão, não, citamos essa perseguição para exemplificar situações e condições que motivavam torcedores, cidadãos e lógico a imprensa a renegarem o time. E o Palestra Itália foi obrigado por decreto presidencial a mudar seu nome e tornou-se o Cruzeiro Esporte Clube.

Daí se pode depreender o porque das preferências da imprensa de BH, o motivo pelo qual um time é reverenciado e o outro negligenciado, as razões históricas que contribuíram para a atual situação, que tende a mudar com o passar dos anos.

Tanto é balela a proclamada paixão do atleticano que os números mostram com clareza quão normal é esse torcedor, tão apaixonado por seu time quanto qualquer outro torcedor brasileiro, os números e as imagens. A foto abaixo, mostra o abandono ao time no 2º jogo da final do Camp. Mineiro de 2008.

Não importa se haviam sido goleados, se fossem apaixonados como é declamado na imprensa eles estariam lá e não abandonariam seu time, fosse como fosse.

Mas se as imagens não mentem, os números retratam a realidade. Também nos números nós podemos ver como a verdade não corresponde ao que lemos nos jornais, ouvimos nas rádios e nas tv’s.

Público pagante: 460.658 Cruzeiro    Média: 24.245 Cruzeiro (19 jogos)
Público pagante: 354.119 Atletico-MG    Média:18.638 Atletico-MG (19 jogos)
Total arrecadação: R$ 6.392.310,00 Cruzeiro Média R$ 336.437,37 (18 jogos)
Total arrecadação: R$ 3.635.622,50 Atlético-MG Média R$ 191.348,55 (19 jogos)
Fonte: Site da CBF/Estatísticas Série A

O Cruzeiro tem a terceira melhor média de público do Camp. Brasileiro, de 24.245 torcedor por jogo, atrás apenas Flamengo e Grêmio, primeiro e segundo respectivamente nesse quesito. O Atlético-MG ficou em 8º, com 18.638 de média.

                                  Maiores públicos pagantes:                        Maiores médias:
 732.492 Flamengo/RJ (18)                40.694 Flamengo/RJ (18)
602.780 Grêmio/RS (19)                    31.725 Grêmio/RS (19)
460.658 Cruzeiro/MG (19)                24.245 Cruzeiro/MG (19)


Para o jogo contra o Santos, o Atlético fez promoção com ingressos a R$ 5. Os bilhetes tiveram seus preços baixados pra conclamar a torcida à bater o recorde de público do Mineirão em 2008 que pertence ao Cruzeiro e nem assim foi superado.

Algo que também pode demonstrar porque às vezes a tal massa enche o estádio:

Atletico x Santos - Público pagante: 58.391 - Renda: 398.212,00
Cruzeiro x Flamengo - Público pagante: 50.789 - Renda: R$ 516.976,50
8 mil a menos no público, mas 100 mil reais a mais de renda. Essa é a conta que
prova que a Massa só vai se for com promoção.

No ano do centenário do clube tudo que representasse vantagem sobre o Time Azul, era bem visto tanto pelos torcedores zebrados, como pela diretoria do clube de Vespasiano, tanto que a campanha foi forte pra bater o recorde.

O Cruzeiro também fez promoção para a partida contra a Portuguesa, com uma diferença básica, os ingressos foram vendidos a R$ 10,00 no anel superior e inferior e um quilo de alimento não-perecível, numa ação de solidariedade para com às vítimas das enchentes de Santa Catarina (o dobro do preço do rival e ainda 1kg de alimento).

O jogo entre Cruzeiro e Boca Juniors, em 7 de maio, pela Libertadores deste ano, continua a deter o recorde de público do Mineirão na temporada: 61.471 pagantes.
 
O maior público pagante de um jogo internacional oficial disputado no Mineirão também pertence ao Cruzeiro. Foi em 21 de dezembro de 1976, no empate sem gols com o Bayern de Munique, da Alemanha, na segunda partida da decisão do Mundial Interclubes, quando 113.715 torcedores acompanharam a conquista do título pela equipe alemã, que tinha vencido o jogo de ida, em casa, por 2 a 0.

Mas o rival local também tem seus recordes estabelecidos, e não é como aqueles tão propalados e igualmente TÃO falsificados recordes da Segunda Divisão.

O menor público do Mineirão, foi de 489 pagantes, numa vitória do Atlético-MG por 2 a 1 sobre o Democrata, de Governador Valadares, em 5 de maio de 1999. E o segundo pior, também da torcida do Galo, foi registrado no mesmo ano, com apenas 539 pagantes, numa goleada do Atlético-MG de 4 a 0 sobre a URT, dia 12 de junho.

O RECORDE GERAL, SOBERANO E ETERNO DE PÚBLICO DO MINEIRÃO É TAMBÉM DO CRUZEIRO e não será batido NUNCA mais, pois o estádio sofreu reformulações e teve sua capacidade bastante reduzida. Foi no jogo da final do Campeonato Mineiro de 1997, contra o Villa Nova, onde o Cruzeiro sagrou-se Campeão. Nesse dia 22 de junho de 1997, ficaram de fora no estádio mais de 20.000 pessoas que não puderam entrar, e dentro do estádio 132.834 pessoas se acotovelavam.

O fato que nos leva a escrever esse texto, é exatamente essa exarcerbada preferência clubística das redações de BH, que acabam como dissemos acima, influenciando a opinião pública como o fez com o nosso prezado Wilson Hebert do ótimo blog Futebol, Música e Etc, um flamenguista declarado, que com certeza sabe discernir melhor no seu blog que os jornalistas mineiros, que a paixão tem de ficar ao lado quando se trata de informar. Os incautos leitores, telespectadores ou ouvintes acabam por sucumbir e acreditar visto, que a disseminação destas informações é muito grande.

Update (15/12/2008) : confiram reportagem do site Torcida 5 Estrelas que corrobora o que aqui foi mostrado, cliquem no título da reportagem para a acessarem: Cruzeiro 15 x 3 Atlético-MG

17 comentários:

Leônidas Cruzeirense disse...

É a mais pura verdade. Somos muito maior do que este monte de velhinhos sobreviventes da antiga maior torcida de Minas. A torcida do CAM não tem renovação pois criança não torce para time perdedor. Em breve estaremos como dobro de torcedores. É FATO!

Brahma disse...

O que acrescentar mais? vc està com toda razao amigo, numeros nao mentem e confirmam o quanto a imprensa (vale para todos os assuntos) pode direcionar a opiniao publica.Aproveitarei desse levantamento que vc fez para divulgar esse FATO aqui na terra de onde seu time traz as raizes.
Abraço

Luiz Edmundo disse...

Carlão,

Justa reclamação, mas teria muito mais efeito se fosse feito num blog acessado não apeans por cruzeirenses,

Porque não posta algo semelhante no Boteco ? *Rs

Saudações HEXACAMPEÃS...

Pâm SãoPauliNa-RP disse...

Oii Carlão bom dia...tudo bem?
Nossa interesante esse seu post, muito bem explicado....e é verdade..mas você sabe que a TV em si nunca passa a verdade das torcidas e sim os "pobres" caso aqui em são paulo a torcida do Cruzeiro é mostada como a violenta de minas...e na verdade não é bem assim...

É uma torcida bonita.....
vale a pena mostrar mais o seu lado fanático!

BjO*

Jornalismo Torcida 5 Estrelas disse...

Carlão, vc está com toda a razão. EU fiquei sabendo de uma história, que foi veiculada em algum site que não estou me lembrando, sobre esta polêmica de torcida. Parece que isso começou mesmo no início da década de 70. O Cruzeiro vinha de ganhando estaduais e fazendo sucesso desde a década de 60. O mais antigo clube da cidade estava perdendo prestígio e estava em baixa. A imprensa, que em sua maior parte é formada por atleicanos até hj, inclusive os donos das empresas de comunicação, em sua maioria são atleticanos, não tinha razões para ficar elogiando o time o CAM pelos frequentes fracassos. Para o foco não sair do clube, a imprensa resolveu falar da torcida. Qndo veio 1971, foi a chance maior para a imprensa explorar essa "paixão". Após 1971, o CAM não tinha uma equipe competitiva como tinha o Cruzeiro na época, era incomparável. 1976, Cruzeiro campeão da Libertadores e o foco da imprensa era a torcida, a única maneira de não tirar o clube da mídia era enfocar a torcida. Essa paixão foi muito explorada na década de 80, quando houve um hiato no Cruzeiro, que não ganhou quase nada naquela época, ótima chance para enaltecer ainda mais o CAM. Mas, da década de 90 para cá, vemos como a imprensa é nojenta. O Cruzeiro ganhou quase tudo, foi um dos maiores clubes vitoriosos do mundo e a imprensa não larga a CAM de jeito algum. Este ano do centenário, pelo ponto de vista da imprensa, parece que nem houve crise no CAM de tanto que a imprensa maquiou e amenizou as informações para dar impressão de que não houve cris. Bastou o CAM vencer 3 partidas seguidas e a imprensa dizia que o CAM era o melhor clube do Brasil e que Marcelo Oliveira era Luxemburgo. A imprensa que temos hj em Minas é uma imprensa conservadora e os donos das empresas de comunicação ainda seguem atleticanos. Eu já pensei em fazer um documentário sobre isso, se vc topar, a gente faz no próximo ano. Abraços

Jornalismo Torcida 5 Estrelas disse...

Lembrei de um exemplo recente que retrata bem a parcialidade da imprensa a favor do CAM. O jornalista Alexandre Simões que havia feito uma reportagem sobre lavagem de dinehiro dos perrellas no Cruzeiro foi demitido do Estado de Minas na época pode causa desta matéria, se não me engano em 2003, o maior ano em termos de títulos do Cruzeiro. Em um programa esportivo de domingo da Rede Minas, o Alexandre Simões foi entrevistado por telefone para ele esclarecer a polêmica causada pelo jornal EM m 2003. Segundo depoimento dele, ele foi pautado para fazer matérias investigativas sobre os prossíveis podres de Cruzeiro e do CAM. Ele fez as duas matérias e só o "podre" do Cruzeiro foi publicado. Aí vem a pergunta: - Por que o "podre" do CAM não foi publicado?. Bem, se o editor chefe do jornal é atleticano naquela época, não preciso dizer o porque da publicação. Aliás, o EM é completamente atleticano, prova disso é a monografia que o repórter do Torcida 5 Estrelas, Alberto Ribeiro, fez. Ele comparou os jornais EM e O Tempo e viu, de forma escrachada, que o EM é atleticano de doer! O posso dizer que a imprensa é atleticana pq sou jornalista, conheço por alto quem é atleticano ou cruzeirense na minha área e, no site onde trabalho, claro, não é o Torcida 5 Estrelas, é outro, os meus chefes são atleticanos e eles já barraram matérias minhas sobre o Cruzeiro. É foda!!!!!!

Rafael Amaral disse...

Ótima idéia a do comentário do Torcida 5 estrelas! Podemos juntar a blogsfera celeste e fazer um trabalho importante e levá-lo a algum meio de comunicação como rádio, jornal ou tv!

Conte comigo!
Abraços
Saudações celestes

http://blog-azul-cruzeiro.blogspot.com/

Sobre o Futebol Carioca disse...

muito bom o TEXTO.

Daniel Leite disse...

Concordo que a torcida do Galo seja tão apaixonada quanto qualquer outra. O único ponto que considero de tudo o que é dito pela imprensa é que os atleticanos reagem a leves estímulos. Por exemplo, o fato de o time esboçar uma recuperação, com Marcelo Oliveira, fez a torcida lotar o Mineirão na despedida do ano, diante do Santos. No entanto, em momentos verdadeiramente duros, como no segundo jogo da final do Mineiro, a torcida não apareceu.

Não vejo grandes disparidades de "amor" entre cruzeirenses e atleticanos, embora precisasse viver em BH, ou em qualquer outra grande cidade mineira, para ter uma melhor noção.

Até mais!

Jornalismo Torcida 5 Estrelas disse...

Carlão, olha só essa matéria q fiz q vai exemplificar muito bem a discussão: http://www.torcida5estrelas.com/2008/12/cruzeiro-15-x-3-atltico-mg.html

Abraço novamente

Tiriquí disse...

Pân, Leônidas e Carlão,

"Criança não torce pra time perdedor". Velho também não. Por isso eu tive hombridade e mudei depois de meio século no globo terrestre. Os sobreviventes desse povinho são seres dignos de dó. Pessoas com séria perturbação mental que carecem de tratamento. Isso é uma questão de saúde pública, e o Governo deveria fornecer tratamento e acompanhamento aos doentes.
Um dia eu vou montar a minha clínica de recuperação pra essa corja. Vou contar minha história e de tantos outros que fizeram o mesmo. Repito, isso é uma questão de saúde pública. Fiquem com Deus.
tiriqui-mg@bol.com.br

Maldita Futebol Clube disse...

Interessante a abordagem, e a midia realmente aumenta e inventa, diria nelson rubens...aqui o Vasco tem tido baixas medias por jogar em são janu q s´[o tem recebido 25 mil pessoas por ai, sou adepto q o Vasco como gigante que ´´e, deve usar mais o maraca, pois tem um público enortme e cativo. Uma torcida apaixonada que deu mostras de seu amor e paixão ao clube. E aliás o sentimento não pode´parar...abs, carlãoi

Leandrus disse...

Legal ter lido esse ponto de vista. Mas confesso que daqui do Rio nem sabia desse histórico da imprensa mineira de declarar a torcida do Galo como a mais apaixonada.

Daniel Reiner disse...

A imprensa mineira tem base num cara chamado Assis Chateaubriand.
Procurem conhecer quem foi esse cara. Muita coisa se esclarece sobre a imprensa brasileira como um todo.

FORTE ABRAÇO!

Hermes disse...

Pequeno Grande Carlão,foi o melhor comentário que já lí sobre esse tema.Mas,não tem problema não.Nossa torcida cresce a passos largos,observe nas escolas a quantidade de meninos e meninas com a camisa do Cruzeiro.Um dia essa imprensa vai se enxergar,ex. a itatiaia,já não é absoluta.Eu faço minha parte,não assisto programas esportivos mineiros,não dou ouvidos á itatiaia e não leio o estado de minas,quem sabe a torcida toda faça isso?

carlos pizzatto disse...

As paixões clubísticas se equivalem.

Wilson Hebert disse...

Obrigado pela menção ao meu blog, caro amigo Carlão.

E me desculpe pela demora em comentar por aqui.

E sobre os post's falando das torcidas de Minas, apesar de eu ter feito um elogiando a torcida do Atlético, eu não iria deixar de dar ouvidos a imensa nação azul, pois, como venho aprendendo na faculdade de jornalismo, todos têm o direito de expor suas ideias e nós da imprensa (ou futuro jornalistas no meu caso... rsrs) não podemos esconder nenhum tipo de informação.

Acredito que eu tenho agido da forma que deveria agir, publicando as informações que vc me passou sobre o público no Mineirão.

Abs!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Vão pra lá, venham pra cá, naveguem pois:

Notícias do Maior de Minas - Site Oficial

Globo Esporte

Você no mapa:


Visitor Map