sexta-feira, 26 de junho de 2009

Elicarlos é agredido com termos racistas pelo atacante Maxi


Site do jornal argentino enfoca o episódio.

Isso já ocorreu antes na Libertadores envolvendo outro jogador argentino.

Elicarlos é acompanhado após fazer formalmente a denúncia contra Maxi.

A repercussão do episódio racista que segundo os jogadores do Cruzeiro, ocorreu entre o atacante tricolor Máxi Lopez e o volante do Cruzeiro, Elicarlos, pipoca em notícias e artigos na internet.

Até o jornal esportivo Olé, um dos mais respeitados na Argentina, enfocou o assunto. Reportou todos os acontecimentos e ainda trouxe à tona outro caso parecido, ocorrido em jogo também da Libertadores, ocorrido em abril de 2005, envolvendo o argentino Desábato e Grafite, então jogadores de Quilmes e São Paulo respectivamente.


Que houve uma grande discussão, isso houve, toda a Nação Azul é testemunha. Wagner que segundo depoimentos teria ouvido o que o argentino disse, reagiu violentamente partindo pra cima do atacante gremista dando empurrões no mesmo, ele parecia transtornado.

Elicarlos também se sentiu muito ofendido, como disse ao final do jogo. O jogador garantiu que iria registrar um Boletim de Ocorrência para que o fato fosse apurado e o seu detrator punido.

O jogador afirmou para a imprensa que disputava uma bola “com Maxi, ele não gostou, virou para mim e disse: "macaco". O Wagner também ouviu, ficou p..., e foi para cima dele. Na hora, não acreditei naquilo, fiquei sem reação.”
 
Infelizmente, parece que o técnico P.Autuori, nome respeitado no meio esportivo, tentou minimizar o feito. Ou seja, pregou que a lei não seja cumprida, pregou que isso ocorre com frequencia e que não cabia uma queixa oficial na delegacia ao caso.


Quis dar a entender que o Cruzeiro é que pretendia tumultuar as coisas, quando isso não é verdade pois o jogador que teria sido vítima do preconceito racial dizia a reportagem de tv’s e jornais que iria dar queixa, que não deixaria por isso mesmo.

Para o próximo jogo, já vai existir um clima ruim, um clima de revanche de algo que claramente não ocorreu. O episódio foi sómente entre o volante e o atacante, não deve ser generalizado.

A Conmebol terá que punir o jogador (assim que comprovada a ação racista), e com certeza na justiça comum o mesmo também poderá ser punido, racismo é crime.


Zezé Perrela, indignado com o episódio de racismo, tanto quanto com a tentativa culpar o Cruzeiro pelo desfecho do episódio, divulgou carta onde entre outras coisas diz-se revoltado por ter sido acusado de “termos provocado tal situação
com o intuito de desestabilizar os adversários. Ora, se fosse nosso objetivo tirar proveito de uma barbaridade como essa, teríamos feito no intervalo do jogo, exigindo que o agressor fosse detido no vestiário. Depois de uma partida, na qual saímos vitoriosos, que benefício poderíamos tirar com uma ocorrência policial em estádio de futebol?”

Mas a polêmica parece que ainda renderá mais, agora o argentino esta se defendendo com a alegação que não conhece o significado da palavra MACACO em português, que não sabe o sentido da mesma e que foi tudo ARMADO pelo Cruzeiro, UM ABSURDO. Ele declarou isso ao Olé, clique aqui e leia tudo



10 comentários:

Gremista Fanático disse...

O que pode ter acontecido não é um ato de racismo e sim uma acusação de injuria, e se confirmado com certeza o responsavel tem que ser punido, mas acho que prejulgamento é errado assim como preconceito seja ele qual for. abraço.
Saudações do Gremista Fanático

Carlão Azul disse...

Muito bom e é isso mesmo Gremista.
Tanto o preconceito quanto o pré-julgamento são coisas erradas.

Eu particularmente até acredito mesmo que tenha havido a ofensa, mas só depois de provado é que se pode condenar Maxi.

Só espero que isso seja resolvido e que apesar da polêmica esse fato não interfira na disputa limpa que até agora tem feito Grêmio e Cruzeiro.

Sds. Celestes

Clítia Milagres disse...

Realmente um fato lamentável que não combinou com a bela festa no Mineirão. Acredito que se tem que cumprir a lei e o atacante gremista ser punido, de preferência não jogando a próxima partida, pq o clima com certeza não será dos melhores com os dois em campo.

Gremista Fanático disse...

Valeu Carlão, e acho que se o Maxi Lopes disse isso mesmo tem que ser punido tanto pela injuria como pela idiotice, abraço.
Saudações do Gremista Fanático

sobreofutebolcarioca. disse...

E AGORA?

Lucineia Silva disse...

Carlão... tudo isso é muito chato e ridículo demais. Certamente o jogador Max disse sim, falo isso por tudo que vi e ouvi até agora!

O jogo foi ótimo, não devia ter acado assim...

Vamos aguardar a conclusão dos fatos. Força Eli!


Saudações!
Bjos amigo

Leônidas Cruzeirense disse...

Vamos esperar que o Elicarlos continue até o fim e não entre em acordo com o Argentino. Se entrou que vá até o fim. É FATO!

Alex Alvarez disse...

Carlão, é lamentável que um jogão como aquele tenha terminado dessa maneira.

Eu escrevi em meu blog sobre a polêmica. Sou totalmente contra qualquer tipo de discriminação, mas há mal interpretação neste caso. "Macaco" nada mais é que um gentílico usado às vezes pelos argentinos e urugaios para chamar os brasileiros. Não é um insulto nem racismo, é apenas um apelido. "Macaco" não tem o mesmo sentido em espanhol, nem é um termo muito usado ou conhecido em terras castelhanas. Sei tudo isto porque moro no Uruguai há anos. A tradução para o espanhol seria "mono", palavra que Maxi López não usou porque não é racista.

O problema é que o brasileiro não sabe nada sobre o povo argentino, e tem predisposição a implicar com ele. Ninguém quer escutar e muito menos acreditar em Maxi López.

O pior é que a imprensa alimenta a polêmica, pois assim ganha audiência, mas não busca os fatos, não procura entender o acusado. A lei diz que todos são inocentes até que se prove o contrário. Para a imprensa isto é extamente ao contrário. O povo não julga por si mesmo, tampouco procura todos os fatos, apenas engole o que dizem os meios sensacionalistas em busca de audiência. E algo que ninguém fala é que tratamento diferente por causa da nacionalidade também é racismo, como prevê a lei.

Carlão, por favor, não se ofenda com meu comentário. Só estou dizendo tudo o que sei sobre o caso e a minha opinião. Grande abraço! E que no próximo jogo só se fale de futebol.

Fernando Luna Jr disse...

Saudações Alvirrubras Pernambucanas ao pessoal do CRUZEIRO. Estou torcendo pela raposa. Acho que racismo deve ser banido, ainda mais com um argentino dentro do Brasil. Mas só quero lembrar aos cruzeirenses que Elicarlos não é nenhum exemplo de jogador. Saiu do Náutico e colocou o time na justiça cobrando direitos indevidos, tanto que perdeu a causa, tudo influenciado por empresários.
De toda forma, caso se comprove que o jogador foi agredido, punição exemplar à esse jogador argentino medíocre. E quinta, Raposa 2x1 Gaymio gaúcha...
Fernando.
Vermelho de Luta...!!!

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Vão pra lá, venham pra cá, naveguem pois:

Notícias do Maior de Minas - Site Oficial

Globo Esporte

Você no mapa:


Visitor Map