quarta-feira, 10 de maio de 2017

2 derrotas em 3 dias, agora com eliminação: 2x1

Nacional - PAR 2 x 1 Cruzeiro - Def. del Chaco - 1ª Fase - Jogo de volta - Sul-Americana 2017 

Na conta do Mano
Não se trata de pedir a cabeça do Mano. Não é isso. Não estamos fazendo campanha para a saída do Mano. É ele mesmo é que esta trilhando por este caminho ao insistir nos seus erros e ao bolar estratégias erradas para jogos decisivos. Desta feita a estratégia foi a de jogar pelo regulamento. Até que dava, pois o time do Nacional é fraquíssimo, inclusive temos de considerar que perdemos de nós mesmos pois, os dois gols do Nacional só sairam através de erros individuais de nossa defesa. Esta é uma atenuante para Mano, mas, ao mesmo tempo é também uma agravante já que na substituição ele quis inventar e não foi coerente com suas posições em todos os jogos anteriores. Substituiu Diogo Barbosa (a menos que este tenha sentido alguma lesão) o único jogador do nosso setor defensivo que não tinha cartão. Pouco depois perdemos Léo. Estava muito evidente que um jogador seria expulso dada a quantidade de amarelos que o fraco juiz distribuiu. Até parece que o Colombiano queria se vingar pelas muitas derrotas que seu país sofreu para a Sel. Brasileira. Outro erro de Mano foi insistir com Thiago Neves que não vem produzindo nada de inteligente ou mesmo útil ao time. Fez o gol e só. Não ajuda na marcação, não dá bons passes, perde bolas infantilmente e fica olhando.

O jogo 
O jogo começou com um Cruzeiro aguerrido, partindo para cima, até aí parecia que a classificação eram favas contadas. Aí veio o 1º erro nosso. Mayke arrematou mal uma bola e ela sobrou para o adversário que mandou para o gol. Então, o time paraguaio se animou no jogo e mesmo com muitas limitações técnicas foi pro jogo e deu um pouco mais de trabalho. O Cruzeiro parecia desanimado, desfocado. Cansado talvez. Foi se segurando até o final da 1ª etapa. No 2º tempo voltou novamente mais animado e dominava o jogo. Faltou mais eficiência para marcar o 2º gol mas aí, foi a vez de Caicedo falhar e sofremos o 2º gol do Nacional que levaria o jogo para os pênalties. Interessante é que o Cruzeiro não fez muito esforço para evitar esta disputa de penais. Haviam treinado muito, mas não o suficiente pois perdemos 3 penais o que mostra que o treinamento não foi tão bem feito assim. Fomos punidos por tentar acreditar que nossa vantagem nos daria a classificação. Esta tudo muito errado quando o Cruzeiro, times de Conquistas e Vitórias não consegue passar da 1ª fase da Sul-Americana.

Próximos capítulos 
Domingo inicia-se o Brasileiro. Como é bom já começar com um jogo difícil né? Pois é. Estrearemos contra os Bambis na nossa casa o que como sabemos, sugere que temos a obrigação de vencer. Mas como? Com o moral baixo por duas partidas decisivas em que não obtivemos êxito. Um título perdido e uma eliminação? Jogadores sendo duramente cobrados? Sem confiança e errando em bolas fáceis como neste jogo? Depois de estrear no Brasileiro ainda teremos outro jogo decisivo e duro. Contra a Chapecoense lá e tendo de administrar uma vantagem. Será que o Mano vai querer jogar pelo regulamento de novo? Será que vai enxergar que tem titular ali merecendo por demais ficar no banco? Tomara. Vamos dar conta do nosso papel de torcer bastante para que a maré vire a nosso favor pois senão será mais um ano difícil. Um time que começou tão bem e em pouco tempo esta se desmanchando em campo. Será mesmo o cansaço? A sequência insana de jogos? Camp. Mineiro, Copa da Primeira Liga, Copa do Brasil, Copa Sul-Americana e ja já Camp. Brasileiro. É complicado não é mesmo? Avante Azul.


FICHA TÉCNICA
NACIONAL 2 (3) X 1 (2) CRUZEIRO
Local: Estádio Arcenio Erico, Assunção (PAR)
Data: 10 de maio de 2017, quarta-feira
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Gustavo Murillo (Colômbia)
Assistentes: Eduardo Díaz (Colômbia) e Humberto Clavijo (Colômbia)
Cartões amarelos: Mayke, Luis Caicedo, Thiago Neves, Rafinha e Léo (2) (Cruzeiro); Paniagua, Adam Bareiro, Jonathan Santana, Rodrigo Rojo (Nacional)
Cartão Vermelho: Léo (Cruzeiro)
Gols: CRUZEIRO: Thiago Neves, aos 11 minutos do primeiro tempo; NACIONAL: Villagra, aos 16 minutos do primeiro tempo, e Bareiro, aos 17 do segundo
Nos pênaltis: Santiago Rojas, Miranda e Dávalos fizeram para o Nacional; Henrique e Hudson marcaram para o Cruzeiro
NACIONAL-PAR: Rojas, Dávalos, Miranda, Jacquet, Rojo, Santana (Walter Rodríguez), Paniagua, Francisco García (José Núnez), Villagra (Freddy Bareiro), Adam Bareiro, Salgueiro.
Técnico: Roberto Torres
CRUZEIRO: Rafael, Mayke, Léo, Caicedo, Diogo Barbosa (Fabrício), Henrique, Hudson, Thiago Neves (Alisson), Rafinha, Arrascaeta e Ramon Ábila (Dedé)
Técnico: Mano Menezes

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Vão pra lá, venham pra cá, naveguem pois:

Notícias do Maior de Minas - Site Oficial

Globo Esporte

Você no mapa:


Visitor Map